Você ainda não separa Pessoa Física de Pessoa Jurídica? Cuidado! – Por Douglas Marangoni

Separar pessoa física de pessoa jurídica é item básico em uma rotina empreendedora. No entanto, sabemos que no Brasil, é algo cultural manter um negócio na informalidade.

A seguir, entenda quais problemas o empreendedor pode enfrentar por não distinguir a vida pessoal da vida empresarial e veja os benefícios de ter um CNPJ. Mais uma artigo esclarecedor do nosso palestrante de sucesso, Douglas Marangoni.

Qual a diferença e motivos para separar pessoa física de pessoa jurídica 

De forma bem didática, o que difere  a pessoa física da pessoa jurídica é que a primeira diz respeito a qualquer pessoa como indivíduo. Ou seja, uma pessoa que tem o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e certidão de nascimento, correto?

Já  em relação à pessoa jurídica, é aquela relacionada à empresa, que possui um  Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), inscrições estadual e municipal. 

Há muitos motivos que levam a essa separação. Se você quer de fato, se profissionalizar, não tenha dúvidas, é o melhor caminho e um motivo e tanto. A seguir, e falo sobre alguns problemas que você terá ,caso não faça essa distinção.

Alguns problemas que você enfrenta por não separar Pessoa Física e Pessoa Jurídica

Tome nota dos entraves que você se livraria, tendo seu CNPJ: 

  • Dificuldade de um bom planejamento financeiro; 
  • Dificuldade ao analisar os relatórios da sua empresa;
  • Não saber se sua empresa cresceu ou inchou;
  • Problemas fiscais graves;
  • Gastos excessivos descontrolados.

Estratégias para avançar com seu negócio e separar Pessoa Física de Pessoa Jurídica 

Eu sempre aconselho, em minhas palestras, mentorias e conversas com demais empresários e empreendedores que é  fundamental fazer um bom planejamento financeiro tanto para Pessoa Física quanto para Pessoa Jurídica.

Sendo assim, minhas dicas são:

  • Defina o valor do capital social correto para sua empresa;
  • Procure separar ao máximo os recursos da empresa de pessoa física;
  • Considere também que a empresa é reflexo da imagem do proprietário, e vice-versa, pela observação de que a imagem de sua empresa pode ser inferida pelas suas ações, e você pela da sua empresa reciprocamente.

É claro que o assunto é extenso e não se encerra por aqui. Exatamente por isso, o espaço dos comentários está disponível para você me contar sobre sua experiência e dúvidas. Aproveite e compartilhe o texto e hoje com aquele amigo que não separou ainda a pessoa física da pessoa jurídica. 

Clique aqui e conheça o perfil do palestrante de sucesso Douglas Marangoni

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes