Palestras de Sucesso Entrevista Demétrio Magnani

1- Demétrio Magnani, é com imensa alegria que te recebemos aqui no time da Palestras de Sucesso. Afinal, você é um profissional de destaque e sinônimo de profissionalismo. Seja mais que bem-vindo ao cast!

Primeiramente, explica para nossos leitores a importância de uma empresa manter um profissional capaz de empreender internamente em uma organização, ou seja, um intraempreendedor?

Entendo que toda empresa deve estar atenta a novas oportunidades existentes no mercado ou na busca constante por inovação. Pois é, os intraempreendedores são profissionais com alta resiliência, com capacidade de perceber oportunidades, analisar cenários e implementar ideias. 

De toda forma, além da oportunidade percebida e dos profissionais que reúnam as características de um verdadeiro intraempreendedor, é muito importante que a empresa tenha uma cultura que valorize o novo, a inovação e lideranças que entendam que um intraempreendedor necessita ter liberdade sem libertinagem para empreender.

Por fim gostaria de lembrar que um bom intraempreendedor tem como missão dar eco para determinada iniciativa dentro da empresa. Muitas das grandes ideias que muito geram caixa hoje tiveram um início de baixo impacto. Cabe ao intraempreendedor demonstrar e provar a capacidade de geração de caixa futura daquela oportunidade ainda pouco percebida.

2- Como executivo, você nos contou que já ministrou inúmeras palestras de motivação aos seus subordinados, chegando a ter “debaixo do seu guarda-chuva”, cerca de 10.000 subordinados! Conta mais pra gente sobre essa experiência e aproveitando o gancho, diante de tanta experiência, quais os principais fatores que levam os funcionários à desmotivação e como reverter esse quadro?

Sim, liderei diversos competentes times na minha carreira. Lembro-me de ter inaugurado 154 lojas em 8 anos. Para que isso acontecesse, certamente um time motivado estava presente.

Você deseja motivar a sua equipe? Comunique-se com a sua equipe. Entenda também que uma boa comunicação tem duas vias, logo você fala e ouve atentamente. Quando você desenvolve a boa comunicação com o seu time você desenvolve no mesmo o senso de pertencimento.

Este é um assunto apaixonante. Temos muito por falar sobre isso.

3- Quando se fala em Demétrio Magnani, se fala em uma das nossas maiores referências no segmento varejista, isso é inegável. Certamente, qualquer profissional interessado na área e em negócios tem muito a aprender com você, seus ensinamentos e experiência acumulada em 33 anos de varejo, vendendo bilhões de reais, liderando centenas de lojas e milhares de funcionários pelo Brasil. E o melhor de tudo é que isso é possível, por meio da sua mentoria, não é verdade? Conta um pouco mais sobre este projeto, os resultados e feedback que você recebeu dos mentorandos.

É bom estar próximo de alguém que já viveu experiências semelhantes às quais vivemos, não é verdade?

Então, mentorar significa contribuir com alguém para que esta pessoa, estando verdadeiramente interessada, tenha um processo de amadurecimento mais rápido.

Adoro dividir a minha experiência, isso faz parte do meu propósito de vida. Para isso criamos um programa de mentoria na Academia do Comerciante no qual abordamos os seguintes tópicos:

1)  Fazendo a gestão no detalhe;

2)  Vendendo com lucro;

3)  Controlando os gastos;

4)  Analisando a sua operação e proposta de valor perante a concorrência;

5)  Planejando o futuro da sua empresa;

6)  Expandindo de forma segura;

7)  Liderando para atingir grandes resultados;

8)  Passando o negócio dos pais para os filhos.

Quanto a satisfação dos meus mentorados, afirmo que eles sentem o resultado no bolso ainda mais cheio. Risos!!

4- Demétrio, de que maneira  podemos aprender e tirar partido dos contratempos da vida, no que se refere ao mundo dos negócios? O que sua palestra nos traz neste sentido?

É muito bom falarmos daquilo que vivemos na prática, concorda comigo? Pois é, eu quebrei em 2017. Acabo de escrever um livro que será publicado ainda em 2021 com várias dicas neste sentido, mas aqui vou destacar uma: “Jamais se faça de vítima. Assuma a responsabilidade e tire um lindo aprendizado de tudo isso.” Certamente é a atitude certa, atitude de campeão.

Na minha palestra retrato ao vivo, a cores e com muita emoção diversos aprendizados que tirei nos meus primeiros cinco anos como empreendedor.

5- Ainda nesse contexto, quais os primeiros passos a tomar quando um empreendedor  “quebra”? O que fazer para se reerguer?

Vou citar três passos fundamentais:

1)  Cuide-se! Você entrou no buraco, você deverá sair do buraco. Para tal você deverá estar energizado.

2)  Não tenha vergonha, não se esconda. Mais do que nunca você precisará de ajuda. O tombo é grande e ajudas verdadeiras são muito bem-vindas.

3)  Seja franco com todos: família, amigos, funcionários e fornecedores.

6- Você nos disse que pensar no futuro de uma empresa é um grande desafio, que exige, antes de mais nada, o uso e domínio das técnicas corretas. O que você diria para um empreendedor que sabe da necessidade de pensar no negócio lá na frente, mas que mal consegue lidar com o presente?

Eu diria que ele precisa de ajuda. Que ele precisa investir na formação dele e da equipe quer seja através de bons cursos online, quer seja através da mentoria.

Isso tem custo? Tem sim, mas certamente o benefício em muito supera o custo envolvido.

7- Um comprador bem formado e informado é muito mais respeitado pelos fornecedores, correto? O que esse profissional encontra hoje como boas opções de formação e quais estratégias você indica para executar uma gestão comercial e de compras, assertiva?

Sim, certamente. Não tenho a menor dúvida da citação: um comprador bem formado e informado é muito mais respeitado pelos fornecedores.

Na Academia do Comerciante, minha empresa de treinamento e mentoria online, temos um excelente curso de compras dado por profissionais que conhecem muito do assunto. Na minha opinião o melhor curso do mercado.

Mas aqui coloco algumas dicas importantíssimas para uma boa gestão de compras/comercial, quais sejam:

1)  Tenha um ótimo relacionamento com fornecedores;

2)  Conheça muito bem os seus clientes;

3)  Conheça bem todos os impactos que a gestão de compras tem no caixa da empresa;

4)  Conheça a matemática comercial necessária para fazer uma boa gestão de compras;

5)  Aprenda a fazer a boa gestão por categorias, inclusive definido o papel de cada categoria;

6)  Gerencie cada categoria em função das 4 políticas de gestão por categorias – precificação, sortimento, arrumação e promoção.

8- Colocar em prática o que uma pessoa inspiradora nos ensinou é manter o seu legado vivo. Sendo assim, conta pra gente quais são suas maiores fontes de inspiração e que lições aprendidas com essas pessoas você aplica na vida e nos negócios?

Ótima pergunta! Eu poderia falar de gurus da administração, mas prefiro falar de pessoas próximas, com as quais tive contato direto, diário muitas vezes.

Minha mãe, Florinda, foi, é e será o maior exemplo de resiliência da minha vida.

Meu pai, Adair, foi, é e será o maior exemplo de humildade da minha vida.

Vicente Trius, ex-presidente do Walmart Brasil, é o maior exemplo de capacidade de comando e realização que eu conheci na minha vida.

João Carlos Paes Mendonça, grande varejista, ex-presidente do Bompreço S.A. Supermercados do Nordeste, é o maior exemplo de estrategista que eu conheci na minha vida.

9- Falando sobre pandemia, ficou nítido o quanto foi acelerado o processo da necessidade de presença digital para qualquer negócio. Outro ponto interessante foi a necessidade do home office. Pensando no cenário pós- pandemia, o que podemos esperar? Você acredita que um negócio pode se manter essencialmente no âmbito digital e em home office, ou sai na frente aquele que investir em um modelo híbrido, digamos assim?

No varejo de móveis e eletrodomésticos o digital continuará certamente em uma constante crescente. No varejo alimentar o digital teve um grande salto em princípio, crescendo quase 600% no pico da pandemia, mas no pós pandemia o crescimento deverá ficar em até 300% em relação ao pré pandemia o que é um baita salto. Mesmo assim 60% dos pequenos supermercados ainda não trabalham com qualquer plataforma digital, o que é um total absurdo. De toda forma o desafio presente é ainda maior, o modelo já é híbrido, estamos falando da omnicanalidade, que é a integração do comércio online e o offline – loja virtual, facebook, central telefônica de vendas, whatsapp, app, loja física, venda porta a porta.

Quanto ao home Office ou trabalho presencial, acredito sim em um modelo híbrido. De toda forma temos que nos lembrar do seguinte: quem não é visto, não é lembrado. Com o home Office a gestão de carreiras ganha um novo tempero. Recentemente li no Valor uma matéria muito interessante com o Peter Cappelli. Sugiro a todos a leitura.

10- Há uma espécie de “jargão” sobre a crise ser, na verdade, uma oportunidade. Como diz aquele “meme” bem popular, “errado não tá”. Mas, é exatamente assim? Como um empreendedor poder desenvolver um olhar mais aguçado e uma percepção mais apurada, para enxergar as oportunidades diante um cenário tão controverso como o que se iniciou há quase 2 anos?

Em primeiro lugar gostaria de lamentar pelos milhares de estabelecimentos que fecharam durante a pandemia. Realmente foi um momento muito difícil, mas sugiro que não se posicionem como vítimas, aprendam com o ocorrido e tratem de reagir. Lembrem-se, quem está falando isso também já quebrou.

Sim, momentos de crise são momentos que geram oportunidade. De toda forma é importante citar que as oportunidades são geradas para empreendedores que valorizam a gestão do caixa; claro, uma boa gestão de caixa é consequência de gente engajada, uma correta estratégia de negócios e de muita produtividade. Pessoalmente acho que temos muito por evoluir nos três pontos citados.

11- “Quem não é visto, não é lembrado”. Quais sãos os passos essenciais para que uma marca seja lembrada pelo público?

Pergunta complexa. Serei breve!

Iniciarei a resposta desta pergunta dando um passo atrás em relação às questões do branding.É fundamental que exista coerência entre a proposta de valor da marca com  a estratégia genérica assumida pela empresa. Isso não acontecendo deixaremos de ter coerência e consistência, fundamental para o desenvolvimento para qualquer marca.

Em 2020 o Assaí deixou de fazer parte do GPA. Uma decisão acertada. Motivo? O GPA, antigo CBD, sempre se posicionou como uma empresa que valorizava a estratégia genérica que prega a “intimidade com o cliente”. Uma estratégia que atua com custos mais altos, o que em nada combina com o posicionamento de um tradicional atacarejo, “liderança de custos”.

Aqui vão as minhas escusas para alguns profissionais de estratégia. Sempre acharei Michael Porter “o cara” em planejamento estratégico. Sei que alguns já não o acham mais. Risos.

 Isso acontecendo, vamos para o próximo passo, partindo do princípio que o cliente já foi estudado exaustivamente. Atuem no ponto de venda. Construam a sua marca no ponto de venda onde 70% das decisões de compras são tomado, e claro, atuem fortemente no digital através das mídias sociais e mídia programática.

12- Por gentileza, conte para os nossos leitores, um pouco mais sobre as seguintes palestras que você oferece para eventos e empresas em geral:

A – O executivo que virou pipoca, e pipocou.

Uma palestra derivada do meu livro “O executivo que virou pipoca, e pipocou”. Aqui trato dos desafios que tive no meu inicio como empreendedor, dos meus erros, do meu dia Q – de quebrei, dos meus aprendizados, da minha reação e do meu fortalecimento diante da maior dificuldade que tive na vida. Certamente uma palestra na qual eu me entrego e forneço momentos de muito aprendizado.

B – Só você é responsável pelo destino do seu negócio e os seis princípios da gestão de uma rede varejista.

Adoro combater a síndrome do “vitimismo”. Poucas vezes na vida me posicionei como vítima, e todas as vezes que assim me posicionei perdi muito. Falaremos sobre isso com base em fatos reais.

Quantos aos seis princípios que trataremos nesta palestra, os mesmos são:

1)  Atitude certa gera resultado certo;

2)  Um bom propósito constrói bons negócios;

3)  Lidere para transformar;

4)  Cuide de todas as pessoas;

5)  O caixa é o rei e

6)  Digitalize para ganhar escala.

Uma palestra para empresas que desejam construir times campeões.

C – Como engajar seus funcionários

Liderei milhares de colaboradores por todo o Brasil que me ajudaram a entregar ótimos resultados. Sempre tive os melhores índices de engajamento por onde passei. Inaugurei 154 lojas em oito anos, o que seria impossível sem um time engajado. Na palestra “Como engajar seus funcionários”, mais do que contar a minha experiência, apresento o método que pratico com sucesso.

D – Varejo de vizinhança, suas fortalezas e seus desafios.

Operei todos os formatos de vizinhança, do chão de loja aos mais altos postos, em todo território nacional. Sou um ferrenho defensor. Em função da minha experiência conquistei autoridade no assunto. Esta é uma palestra que já fiz em escolas de negócio, ESPM e CEDEPE, e na Apas – Associação Paulista de Supermercados.

Uma palestra para quem deseja conhecer mais sobre o assunto, para empresas – varejo, indústria e distribuidores ou associações, que queiram debater o assunto.

13- É algo óbvio que há a necessidade de ganho de produtividade para que uma organização se destaque no mercado. Quais são as atitudes que um gestor deve levar em consideração quando pensa em otimizar a produtividade em sua empresa?

Sejamos práticos:

1)  Ser orientado para resultado;

2)  Não aceitar a zona de conforto;

3)  Ter um time engajado;

4)  Buscar constantemente processos mais eficazes e desenvolvimento do time;

5)  Estabelecer metas desafiadoras;

6)  Controlar resultados; 

7)  Rotina diária de follow-up, cobrança de resultados;

8)  Comemorar as pequenas conquistas;

9)  Avaliação de desempenho de 100% da liderança e

10)   Remuneração com base no desempenho individual e do grupo.

Acima 10 passos para ter uma organização produtiva, orientada para o resultado.

14- Atitude empreendedora: já se nasce com ela ou é algo que vem com o tempo? O que você pensa a respeito?

Fui intraempreendedor por 14 anos. Mesmo assim  quando deixei a cadeira de executivo e comecei a empreender demorei três anos para fazer a transição de executivo para empreendedor e cinco anos para encontrar a minha trilha como empreendedor, tendo inclusive quebrado no transcorrer de tudo isso.

Aprender a empreender é possível, mas você precisa estar muito disposto, ter muita resiliência para encarar o desafio.

Certamente o maior desafio que encarei na minha vida, e o mais transformador. Indico para os fortes.

15- Gratidão por nos atender e compartilhar seu conhecimento conosco. Tenho certeza que foi algo de grande valia, não apenas para nós como também  para nossos leitores. O espaço é seu, Demétrio Magnani, para deixar uma mensagem final ao público.

Em primeiro gostaria de agradecer ao time da “Palestras de Sucesso” pela oportunidade. Fico muito feliz com iniciativas que contribuam com o meu propósito de vida que é apoiar, motivar e influenciar profissionais, empreendedores, comerciantes e varejistas na busca dos seus sonhos, gerando negócios saudáveis, responsáveis e perenes.

Atualmente sou diretor geral da Academia do Comerciante – empresa de treinamento e mentoria online; diretor executivo da Futuretail – empresa de consultoria 100% focada no varejo; iniciando a minha carreira de escritor com o primeiro lançamento – O executivo que virou pipoca, e pipocou, um livro da série Atitude de Campeão e agora retomando uma das coisas que mais tenho prazer, palestrar, compartilhar conhecimento.

Contem comigo!

Instagram @academia_do_comerciante

Instagram @demetrio_magnani_atitude

 

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes