Palestras de Sucesso Entrevista Luciana Lepri

1- Em primeiro lugar, querida Luciana Lepri, é uma honra tê-la em nosso time de palestrantes de sucesso. Seja mais que bem-vinda à sua casa! Analisando seu trabalho extraordinário, lembrei de uma canção cuja letra diz: “tudo está guardado na mente”. Seguindo esta linha de raciocínio, você bate exatamente nessa tecla, afirmando que controle e o descontrole da nossa vida se materializa através dos pensamentos. Sendo assim, conta pra gente: qual o primeiro passo para mudar nosso mindset, virando a chave para o pensamento positivo e com isso, usufruir do poder de realização que todos nós temos?

Obrigada, me sinto muito honrada em fazer parte do time Palestras de Sucesso.

A mudança do nosso mindset vai muito além do que simplesmente pensar positivamente.

Baseada na minha própria experiência e na experiência da aplicação das minhas técnicas em meus clientes, a virada de chave acontece em duas etapas: liberdade emocional e educação da mente.

A liberdade emocional se alcança através da ressignificação das dores e traumas do passado através da técnica da hipnose. Uma vez emocionalmente livres, somos capazes de viver e ver o mundo sem a dor e o sofrimento das situações que experienciamos em nossas vidas.

A educação da mente vem através de um processo de compreensão de que vivemos em dois mundos de forma paralela e simultânea: o mundo do exterior (das circunstâncias e situações do que acontece conosco) e o mundo do interior (dos nossos pensamentos e reações). Esse processo nos ensina que nós não somos a nossa mente. 

A partir daí, é possível mudar o mindset com técnicas e exercícios preparados para educar e disciplinar nossas mentes.

2- Você tem um forte identificação com o público feminino, não é mesmo? Qual sua visão em relação ao empoderamento feminino, tema em franca expansão no cenário atual e como você enxerga o papel da mulher no universo corporativo? O que é preciso ser feito, ao seu ver, para que a mulher ocupe cada vez mais o espaço que lhe é de direito? 

Sim, me identifico com as mulheres por ser mulher, mas também analiso e presto muita atenção nos homens que, em sua maioria, são criados e educados por nós mulheres.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou no final de 2019, um estudo concluindo que empresas com mulheres em postos de liderança têm mais lucros nos seus negócios.

Esse e muitos outros estudos comprovam a capacidade de liderança da mulher. No entanto, infelizmente, em muitos países a discrepância salarial entre homens e mulheres, principalmente em cargos de chefia ainda é um fato.  Isso é triste e essa luta é legítima.

Se pensarmos bem, as dificuldades impostas às mulheres em muitas culturas é desumana, pois, além de mulher, mãe, esposa, companheira, e profissional, à mulher ainda é imposta a obrigação de assumir e conduzir a administração da casa, financeira e organizacional, a criação e educação dos filhos e, ainda por cima, trabalhar e se sobressair no trabalho e nos negócios.

Vi essa diferença claramente quando me mudei do Brasil para os Estados Unidos e fiquei impressionada com o nível de colaboração dos homens, maridos e parceiros na administração da casa, criação e educação dos filhos. Coisa que não vi comumente no Brasil e nem na Itália onde vivo hoje.

Às vezes me pego pensando que se nós, mulheres, tivéssemos uma parceria mais constante e presente na vida pessoal e familiar, poderíamos ajudar a construir um mundo mais humano e eficaz com nossas habilidades que são próprias da mulher e do jeito feminino de ser e resolver as coisas. Isso talvez trouxesse mais equilíbrio ao mundo.

A parceria com os homens é imprescindível, pois são duas formas bem diferentes de observar a vida e buscar soluções para os problemas que, muitas vezes, são comuns.

Não tenho a solução para o que deve ser feito, mas às vezes me pego pensando em como os homens ainda tratam as mulheres e não consigo deixar de pensar que somos nós, mulheres, ainda em maioria como professoras, educadoras e mães que assumem a orientação e educação desses futuros homens. Estamos fazendo certo? Eu tenho 3 filhos homens e sempre os eduquei para serem maridos e não somente meus filhos. Espero que esteja dando certo!

3- Além de palestrante, você atua com maestria com mentorias e com hipnoterapia. O que você pode nos falar sobre essas suas facetas e quais resultados você tem promovido na vida das pessoas? 

Aliás, é interessante falarmos que você, de certa forma, largou uma carreira estabilizada como promotora de justiça e hoje se tornou uma hipnoterapeuta muito bem conceituada. Como foi essa transição? 

Aparentemente, parece uma transição absurda e completamente desconectada — de promotora de justiça à hipnoterapeuta.

No entanto, quando compreendemos que hipnose é comportamento, a transição fica fácil de entender. Como promotora de justiça eu era responsável por fiscalizar a aplicação da lei para disciplinar o comportamento em sociedade.

Como hipnoterapeuta, eu lanço mão da técnica da hipnose para ajudar o cliente a disciplinar seu comportamento na vida.

Assim, fica fácil entender a conexão das duas coisas. Na verdade, sinto como se estivesse fazendo a mesma coisa, mas em esferas diferentes.

Quando me tornei hipnoterapeuta eu já estava aposentada como promotora de justiça e estava trabalhando como consultora da Vice Presidência do Banco Mundial no Departamento Jurídico em Washington DC.

4- Quais lições você guarda com carinho e que pode compartilhar com a gente, de quando trabalhou com o vice-presidente Al Gore e ao lado da vice-presidente do Banco Mundial? 

Aprendi muito sobre lideranca. Tanto Al Gore como Sandie Okoro são líderes natos. Pessoas que tem muito mais que carisma, tem uma forma de agir, pensar e falar que é simplesmente encantadora, pois são pessoas que observam o mundo muito além das suas próprias ambições e limitações, são pessoas que agem e vivem por uma causa. 

Foram anos preciosos!

5- No decorrer de sua trajetória, sobreviveu a um câncer de mama. O que pode nos falar sobre essa experiência e o que você diria para outras pessoas que eventualmente, estejam lidando com essa situação ou algo similar? 

O câncer, como qualquer outra doença, é um “grito” do nosso corpo. O que eu diria para quem está passando por isso é: ouça o seu corpo. Busque se compreender. Quais as áreas da sua vida que não estão bem?

O autoconhecimento é a única saída para alinhar o corpo e a mente de uma forma a não mais permitir que a doença se instale.

6- O que é preciso fazer para educar a nossa mente? 

O primeiro passo é compreender que vivemos em dois mundos completamente diferentes, de forma paralela e simultânea: o mundo da realidade exterior – das situações e circunstâncias do que acontece com você, e o mundo do interior – dos pensamentos e reações.

Quando compreendemos a dinâmica entre esses dois mundos que, apesar de independentes estão conectados,  podemos ter clareza de como esse mecanismo funciona e a educação da mente começa no exato momento em que percebemos que o que acontece no mundo exterior está fora do nosso controle, mas o que está dentro de nós pode ser controlado. 

A partir daí podemos, por exemplo, escolher que tipo de pensamentos queremos ter.

Existem técnicas que nos ajudam a aprender lidar com esse mecanismo e educar a nossa mente.

7- Construir a confiança é a chave para abrir as portas do sucesso? Se sim, quais são os “tijolos” para construir a “estrutura” desse grande “empreendimento”?  

Nossa vida é um reflexo do nosso exterior.  Quando nos conectamos com a nossa essência e vivemos uma vida alinhada com nosso propósito, isso resplandece e as pessoas que se aproximam de nós percebem, pois a comunicação não verbal precede as palavras.

Assim, ser verdadeiro é o único tijolo necessário para construir a confiança.

8- Em seu perfil no LinkedIn, você comenta:

“Como Promotora eu ajudava a disciplinar o comportamento em sociedade através da lei e, hoje, como hipnoterapeuta, ajudo as pessoas a disciplinarem seus próprios comportamentos através da hipnose.”

A que fatos você atribui a desconfiança do público em geral, em relação à hipnoterapia, associando-a a “charlatanismo”, por exemplo? E explique para nossos leitores, você que é uma das maiores referências no tema, sobre como a hipnoterapia pode ser usada de ferramenta para o desenvolvimento pessoal, contribuindo e muito com questões do universo corporativo, como por exemplo, gestão de pessoas, trabalho em equipe e liderança.

Quando o ser humano não compreende algo, a tendência é a de rechaçar ou rotular. Hipnose, na verdade, é um processo natural de nossas mentes. Há relatos de uso de hipnose há 4000 anos antes de Cristo o antigo Egito.

Hipnose, na verdade, é comportamento. E, entendendo a hipnose como comportamento, somos capazes de alterar, modular, e aprender a nos comportar de forma diferente. Por isso a hipnoterapia tem a capacidade de ajudar as pessoas a compreender certos comportamentos e compreender a origem deles que, muitas vezes, está em interpretações equivocadas na infância ou mesmo traumas.

Nós, seres humanos, somos, na verdade, um aglomerado de emoções, sentimentos, memorias, de tudo o que nos acontece desde a nossa concepção até o dia da nossa morte. Carregamos tudo isso conosco diariamente. Isso aliado às circunstâncias do que nos acontece no mundo exterior, na nossa realidade, nos molda e nos faz o que somos.

É nesse universo que vamos desempenhar nossos trabalhos no universo corporativo. Quando estamos livres de nossas dores emocionais, nos tornamos pessoas mais leves e conectadas com a nossa essência, o que nos permite desempenhar um trabalho melhor e mais focado. Além disso, passamos a ver o próximo com mais compaixão e menos julgamento, o que, certamente, também facilita e otimiza o desempenho no ambiente corporativo.

9- Quais são as principais características que uma empreendedora deve nutrir para realizar seus projetos e negócios, atingindo a satisfação e o sucesso? 

Estar alinhada a seu propósito é imprescindível. Ser proativa, arrojada, não ter medo e ser resiliente.

10- De forma prática, como lidar com as chamadas crenças limitantes? O quanto elas são nocivas em nossa vida? 

Crencas limitantes, como o próprio nome diz, nos limitam e impedem que possamos progredir.

Quando não progredimos ficamos estagnados e essa estagnação nos traz toda sorte de problemas.

Crenças limitantes precisam ser ressignificadas em sua origem e nisso a hipnose ajuda e muito, pois a maioria das nossas crenças limitantes vem de algo que ouvimos ou presenciamos em nossa infância.

Crenças limitantes com relação ao dinheiro, por exemplo. Pessoas que ouviram na infância coisas como: o dinheiro é sujo; ser rico é sinal de ser inescrupuloso; etc, são pessoas que tem uma forte tendência a desenvolver uma relação conflituosa com o dinheiro. Através da hipnose se consegue ressignificar essa crença e alterar o comportamento da pessoa com relacao ao dinheiro.

Assim, a forma mais prática que conheço para trabalhar crenças limitantes é a hipnose.

11- Um tema tendência no segmento corporativo atualmente, diz respeito à saúde mental dos colaboradores. Sua palestra, seu trabalho como hipnoterapeuta e mentora, aborda algumas soluções neste sentido, não é mesmo? 

Sim. Eu costumo apresentar numa palestra e mostrar com exemplos práticos, como a nossa mente funciona. Esse já é o primeiro passo para a mudança: saber que existe saída.

É claro que, num contexto mais profundo, é preciso trabalhar com abordagens mais profundas, como a terapia da hipnose e, depois, passar pelo processo de educação da mente, através do qual conseguimos aprender a lidar com nossas próprias mentes, sem criar dependência do terapeuta, pois aprendemos o mecanismo de geracão dos pensamentos e a partir daí conseguimos disciplinar nossa mente e pensamentos para manter equilíbrio emocional e mental.

12- A falta de motivação é uma dor recorrente no âmbito profissional. Quais dicas você poderia compartilhar com a gente sobre como lidar com essa problemática? 

Novamente, nossa vida é um reflexo de nós mesmos. Se não temos motivação no âmbito profissional ou em qualquer área de nossas vidas, temos que vasculhar o nosso interior e verificar o que está acontecendo dentro de nós mesmos.

Encontrar o propósito, conectar-se com a essência é o que nos move e estimula. 

Sair do modo “reação” e aprender a criar a nossa própria realidade é questão de prática das técnicas que ensino.

13- Lu Lepri, obrigado pela sua atenção e carinho com toda a equipe. O espaço é seu para deixar um recado a todos que acompanharam nosso bate-papo até aqui. Gratidão!

Você é a causa de tudo o que acontece com você. 

Essa não  uma verdade fácil de engolir, pois, se algo ruim está acontecendo em nossas vidas é claro que não nos vemos e nem queremos ser responsáveis por isso.

Mas, na verdade, essa talvez seja a melhor notícia que você pode ter recebido até hoje, pois se você é a causa de tudo o que acontece com você, só você tem o poder alterar aquilo que você não gosta.

Assuma esse poder e mude o curso da sua história.

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes