Palestras de Sucesso Entrevista Jonhson Macaba

1- Jonhson Macaba: antes de começarmos, saiba que é uma grande alegria e honra contarmos com a sua atenção para a realização desta entrevista. Você tem uma história de vida incrivelmente inspiradora e emocionante. Pois bem, pesquisando sobre sua trajetória, nos deparamos com uma frase sua, dita ao jornal Diário do Grande ABC, em 2019: 

 “Ser jogador é só um meio para você conquistar seus sonhos. É preciso preparo para outras coisas.”

Para qualquer pessoa que esteja lendo essa entrevista agora, seja um empreendedor, diretor ou líder de alguma empresa, e mesmo um colaborador, que tem um sonho mas se vê a cada dia, mais distante de concretizá-lo: o que fazer quando tudo parece estar “jogando contra”? Como ter força e resiliência para superar as dificuldades e realizar o que deseja? De que forma desenvolver esse preparo que você menciona? 

JM: A forma mais adequada para desenvolver essas capacidades é olhando para o futuro. Como você quer estar daqui a 5 ou 10 anos? Como você enxerga e quer o seu futuro? Que futuro você merece, que futuro seus filhos merecem? Com essas perguntas você colaborador, diretor de empresa ou de qualquer outra atividade vai ter forças para lutar pelos seus sonhos e objetivos. 

Nós temos um objetivo que nos faz acordar cedo e batalhar, e esse motivo não pode ser apenas pagar boletos!!

2- Da quarta divisão do campeonato paulista, a jogar pela Seleção de Angola, seu país, quais foram suas maiores dificuldades e o que te motivou a superá-las? 

JM: A maior dificuldade que tive nessa época era acreditar que era possível alguém sair do segundo pior time do mundo e chegar em grandes times e seleção. 

Quando cheguei lá vi muitos jogadores talentosos e eles mesmos diziam que ninguém saia dali para lugar nenhum. 

Eu tinha que não acreditar no que ouvia deles e sim acreditar no que estava dentro de mim. Não deixei aquele ambiente negativo me contaminar mesmo sendo muito difícil !! Lutava todos os dias contra eles e contra mim mesmo (internamente)

3- Você é um especialista em temas como foco e disciplina, bem como em trabalho em equipe. Como incutir nos colaboradores da empresa, essas habilidades (foco, disciplina), e de que maneira a liderança e gestores podem criar um ambiente de trabalho em equipe mais positivo e saudável?

JM: Para colaboradores de empresas terem mais foco e disciplina no trabalho, eles tem que entender que a empresa é parte dos seus sonhos. Que toda a empresa trabalha para um mesmo objetivo e isso vai beneficiar a todos.  Quando um líder entende o que seus colaboradores precisam e estão passando naquele momento, ele (líder) tem a capacidade de criar um melhor ambiente de trabalho para seus colaboradores de acordo com as metas e estratégias da empresa.

4- Comente sobre suas palestras e as principais lições que suas palestras trazem nos eventos em que você se apresenta: 

Disciplina da Conquista : 

JM: Não importa quão talentoso você é, se não for também disciplinado você não vai chegar tão longe quanto poderia chegar. 

Entendo que a disciplina é a ferramenta que pode te levar a lugares que ninguém acredita que podes chegar.

O Valor da Camisa que Veste: 

JM: Não importa qual camisa você veste hoje. Se a empresa é muito pequena, simples, ou se falta estrutura para melhor executar seu trabalho. Você precisa valorizar essa camisa pois ela faz parte do processo para você vestir a camisa dos seus sonhos.  

Todas as camisas que vestimos nos trazem ensinamentos e lições, por isso da necessidade de valorizar a camisa que veste hoje. A maior lição que aprendi foi “ Todas as camisas que vestir você deve entregar ao final da sua jornada num ponto maior da qual você recebeu “

Do sonho à realidade:  

JM: Não importa qual é o seu sonho, por maior ou mais difícil que ele seja!! 

Se você tiver um objetivo com dia, mês e ano para alcançar, se você tiver estratégia e um plano para seguir, se você tiver disciplina para executar esse plano,seu sonho vira realidade.

5- Você é um exemplo de superação. Saiu de um país que estava em guerra, veio em um país totalmente desconhecido para você, que era o Brasil, teve o sonho de jogar futebol e usá-lo como ponte para voltar ao seu país e trazer alegria ao seu povo, e conseguiu. Como palestrante, você também se supera, pois teve a desconfiança das pessoas, pelo fato de ser gago. Como você usou mais esse desafio para se motivar e se  superar? 

JM: Na minha vida desde pequeno eu encarava tudo como desafio. Até mesmo dentro de casa para competir em ter atenção do meu pai era um desafio. 

Sou o terceiro irmão de 4 filhos… os que recebiam a atenção eram os primeiros e o último, eu no meio, nada!

Tive que ser sempre estrategista e encarar tudo como um desafio a ser superado. E para querer palestrar mesmo sendo gago, eu usei isso para mostrar para as pessoas que você não precisa ser perfeito quando quer realizar algo. A sua maior dificuldade pode ser o seu principal combustível.

Quanto mais duvidavam de mim, mais isso me motivava e eu buscava como me preparar e executar.

6-Você comentou em uma entrevista, que Rubens Barrichello, piloto, te motivou em uma época difícil, e que ele nem sabe disso. Muitas vezes as pessoas motivam os outros sem saber e foi esse caso: ele mudou parte da sua vida de uma maneira positiva. Partindo desse contexto, de que forma você acredita que um líder, um gestor, pode, de forma consciente, estratégica, motivar os colaboradores? 

JM: Com atitudes positivas e bons exemplos.

Um lider não pode apenas querer mudar ou ensinar seus colaboradores com palavras.As atitudes falam muito mais que palavras.

7- Pega a Visão, de Rick Chesther, é um livro importante para você,correto? O que você aprendeu com ele e que pode compartilhar conosco? 

JM: Eu sou o resultado dos nãos que eu dei para os nãos que me deram. Ele recebeu centenas de nãos, e para cada não que ele recebia ele dava um outro não internamente. E hoje ele é o que é.

8- Quais dicas você daria para alguém desenvolver a autodisciplina? 

JM: Eu aprendi a autodisciplina no esporte e como nem todos tem a possibilidade de ter um professor cobrando e ensinando certas atitudes, a dica certa é : você precisa aprender a lidar com processos e frustrações. 

Sabendo e entendendo isso, tenha o MAIOR objetivo da sua vida como prioridade. 

Com essa prioridade você não vai querer desistir tão fácil desse maior objetivo, pois você já sabe lidar com processos e frustrações.E isso rega resiliência e autodisciplina.

9- Resiliência no ambiente corporativo: por que, na sua visão, é  preciso assumir essa postura?

JM: Porque no mundo corporativo os resultados de ontem, não garantem resultados de amanhã. Se não tiver resiliência a empresa vai viver de resultados do passado.

10- Você concorda que o caminho do profissional que deseja ser resiliente deve, necessariamente, se iniciar no autoconhecimento?  Como desenvolver essa habilidade comportamental? 

JM: Acredito que a melhor forma de adquirir autoconhecimento é estudando, lendo livros e fazendo cursos e convivendo com pessoas que te fazem pensar.

Quanto mais você conhece a si mesmo, mais você pode explorar suas principais virtudes.

11- Como percorrer um caminho de paixão e ousadia, agindo como um protagonista na busca dos sonhos e objetivos e deixar um legado? 

JM: Temos que entender que nós somos os protagonistas de nossas vidas. Se não fizermos por nós, ninguém irá fazer. Buscar realizar aquilo pelo qual seu coração arde por dentro (paixão). Ao agir com paixão, você  pode estar deixando um legado para as pessoas à nossa volta.

12- Obrigado pela atenção, o espaço é seu para deixar um recado aos leitores!

Obrigado.

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes