Palestras de Sucesso entrevista Alessandra Smaniotto

1- Alessandra, é uma honra pra nós falarmos contigo e recebê-la em nosso seleto grupo de agenciados. Muito obrigado desde já pela sua atenção. De início, o tema de uma de suas palestras é: “O sucesso é uma decisão”. Sendo assim, o que é preciso para um indivíduo decidir trilhar pelo caminho das pessoas bem-sucedidas, sair da zona de conforto e fazer as coisas acontecerem?

Alessandra Smaniotto: é necessário foco, disciplina e persistência. As pessoas precisam abrir suas mentes para o novo, questionar suas crenças que muitas vezes a limitam e impedem de atingir o sucesso. Para se ter sucesso devemos ter equilíbrio em todas as áreas da vida no entanto,  em algum momento vamos precisar focar uma determinada área para poder potencializa-la. Em minhas palestras falo que o sucesso acontece antes das 8h e após as 18h. A pessoa que deseja chegar ao sucesso precisa assumir a autorresponsabilidade e o protagonismo como características norteadoras em seu comportamento, parar de responsabilizar os outros e dar-se conta que somente uma pessoa é responsável pelo seu sucesso, não a empresa, não os pais, não seu gestor, nem ninguém… somente ela mesma.

Saliento a importância de ser ter a mente lifelong learning, ou seja, um eterno aprendiz!

2- Como mulher, quais mulheres dentro do seu segmento você destacaria como profissionais de destaque e que servem de inspiração? Aproveitando, como você enxerga a questão do empoderamento feminino? 

Alessandra Smaniotto:  Luiza Helena Trajano, inclusive já palestrei em um mesmo evento que ela também era palestrante, Rachel Maia ex-CEO da Pandora e Lacoste, Camila Farani Shark tank Brasil e a CEO do Nubank Cristina Junqueira.

O empreendedorismo feminino no Brasil ultrapassa 50% das empresas então mais da metade das empresas do Brasil sendo conduzidas por mulheres. Vejo o empoderamento feminino algo notório e de destaque, as mulheres buscam muita qualificação e estão aumento sua participação na diretoria de grande empresas. Ainda temos uma árdua caminhada pela frente, estudos revelam que serão necessários 108 anos para que as mulheres atinjam o mesmo patamar dos homens, seja em questões salariais ou posição de destaque. Vários movimentos estão sendo realizados no mundo conduzidos por mulheres maravilhosas. No Brasil, destaque ao programa Mulheres do Brasil sob a condução da Luiza Helena Trajano que trabalha a questão da igualdade e defesa das mulheres contra as injustiças sociais e violência contra a mulher.

3- Liderança é um tema cada vez mais atual e muito procurado no universo das palestras corporativas, sendo um dos temas onde você demonstra pleno domínio. Agora, em um cenário pós-pandemia, qual a forma assertiva de se liderar equipes? Quais os principais desafios que um (a) líder deve encarar para se sair bem?

Alessandra Smaniotto: Acredito que a liderança situacional continua sendo o estilo de liderança mais assertivo pois leva em conta a situação e o impacto desta no ambiente e em todas as pessoas que serão afetados por ele.

O maior desfio dos líderes hoje é proporcionar um ambiente de segurança psicológica para suas equipes, trabalhar questões de diversidade e manter o negócio gerando resultados com as pessoas felizes se sentindo bem em um clima agradável e as pessoas sendo reconhecidas. Também vale destacar a importância em desenvolver talentos para processos de sucessão e  gerar oportunidades  oportunidades de crescimento para os colaboradores.

4- Ainda sobre liderança, sabemos que um líder de sucesso deve aprimorar diversas habilidades, dentre as quais, a inteligência emocional tem papel de destaque, concorda?

Qual o caminho mais efetivo para um profissional que ocupa a posição de gestor e líder deve seguir, para trabalhar melhor a inteligência emocional? 

Alessandra Smaniotto: O que tenho observado por mais de 20 anos de experiência atuando na área de desenvolvimento humano e atendendo muitos players do mercado é que as pessoas deveriam passar por um processo de Mentoring ou Coaching Executivo. Neste processo o individuo passará por etapas como a de autoconhecimento que é uma das grandes habilidades da IE e em seguida vai para a segunda habilidade que é a autorregulação que é então responsável pela gestão de nossas emoções  que por consequência  impacta diretamente na nossa capacidade de Automotivação na Empatia e nas Relações sociais estas, complementam então  as 5 habilidade para se ter inteligência emocional. Sabemos que mais de 80% do sucesso em nossa vida profissional está relacionado ao nosso QE e o QI representa apenas em torno de 20%. Ou seja, não basta ser inteligente precisa ser emocionalmente inteligente.

5- Outro tema relevante no mundo corporativo diz respeito à comunicação não-violenta. Quais as melhores “ferramentas” você indicaria para dizer “não” sem causar maiores conflitos dentro da empresa, nas mais variadas situações da rotina empresarial?

Alessandra Smaniotto:  Eu sugiro trabalhar a competência em  inteligência emocional, da alta direção a equipe operacional. Existem várias ferramentas e métodos para desenvolver esta habilidade em equipes como por exemplo: mentorias, formações, palestras, workshops etc…. Deixo a dica de dois livros que compartilho com grandes executivos quando estes estão em processo de mentoring comigo para desenvolver a IE: O Efeito Gatilho de Marshall Goldsmith e Comunicação Não Violenta de Marshall Rosemberg, são únicos e esclarecedores além de ajudar os profissionais a perceber em que o ambiente faz o comportamento e cada um é responsável por manter o equilíbrio dentro de seu espaço.

6- Em uma de suas lives, vimos que você toca em um ponto interessante sobre o fato do trabalho do Coach ter sido banalizado, pois muitas pessoas sem uma formação ou metodologia comprovada, passaram a se denominar “Coach”. Partindo deste princípio, conta pra nós, conforme sua visão, qual o futuro do profissional Coach e qual a diferença em relação à mentoria? 

Alessandra Smaniotto: Assunto polêmico! O coaching foi banalizado pela baixa qualidade das formações sem método e também pelo excesso de alunos formados sem a qualificação necessária para se tornar um profissional de desenvolvimento humano, ou seja, o coaching caiu em mãos erradas. Vários profissionais acabam por não entregar os resultados prometidos e comprometeram os profissionais que atuam de forma séria no mercado. Busquei me especializar nos EUA e na Europa para poder atuar de forma séria e responsável e levo esta corrente para dentro do IMC e para todos nossos alunos.

Coaching é um método que segue um processo dinâmico que utiliza diagnóstico, planejamento, monitoramento da execução e do progresso do objetivo do cliente. Quem trabalha de forma séria não tem o que temer no que tange a banalização, já quem não se profissionalizou, nem aprofundou conhecimentos e fixou apenas em um curso básico estará fora do mercado.

Coaching e mentoring possuem algumas similaridades mas diferem um do outro. O Coach pode ser qualquer profissional que saiba aplicar a metodologia e não necessariamente precisa ter experiência na área do cliente para poder prestar este serviço. Coaching trabalha com perguntas reflexões para que o cliente busque os recursos dentro de si para atingir o resultado. Já o mentor é alguém com experiência e vivência com especialidade  que já cruzou o caminho que seu cliente deseja passar, podendo sugerir, dar conselhos, compartilhar sua vivência no intuito de desenvolver de forma mais acelerada as habilidades que seu mentorado deseja desenvolver, proporcionando de forma mais rápida e eficiente o resultado do processo.

7- Você é fundadora do IMC – Instituto Mentor Coach. Conta mais pra gente sobre as formações oferecidas e o sistema da gestão da qualidade aplicado.

Alessandra Smaniotto: o IMC oferece formações e projetos in company para empresas e também atua com programas customizados conforme a necessidade de seus clientes. Além dos in company trabalhamos com cursos e formações abertas:

  •         Leader Training
  •         Formação em Mentoring
  •         Formação em Coaching
  •         Formação em Inteligência Emocional
  •         Formações em Programação neolinguística

Oferecemos qualquer modelo de treinamentos na área de desenvolvimento comportamental para os projetos in company.

O Instituto e suas metodologias são certificadas e o IMC já possui o selo de qualidade  há 2 anos. A cada 6 meses passamos por processo de auditoria para recertificação, dessa forma, precisamos manter os processos funcionando, comprovar a eficácia de nossos produtos e a satisfação de nossos clientes e colaboradores.

8- Comente sobre uma de suas palestras de maior sucesso: Liderança Disruptiva.

Alessandra Smaniotto: O novo mundo pede da suas liderança respostas rápidas, flexibilidade e colaboração. Para que isto aconteça é necessário que este novo líder se descontrua e se construa novamente para então desenvolver a mentalidade de disrupção. O novo líder precisa ter a mente de um nexialista, um profissional capaz de conectar os especialistas a um único projeto e atingir o objetivo para as organizações. Este  modelo de liderança é capaz de alternar entre zona de conforte e zona de coragem para enfrentar as adversidades originadas desse processo de transformação tecnológica e humana que o mundo está passando.

Esta palestra tem o propósito de romper paradigmas, desacomodar gestores e mostrar o caminho para este novo mundo que está precisando destes novos líderes.

9- Alessandra, obrigado pelos esclarecimentos e ensinamentos ricos e relevantes que você compartilhou conosco. Fica aqui nossa gratidão e o espaço para você deixar um recado aos leitores e leitoras do blog da Palestras de Sucesso.

Alessandra Smaniotto: Muito obrigada, foi um prazer.

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes