Descubra porque a inteligência emocional na gestão de pessoas traz resultados excelentes para os negócios- Por Flavio Domingues

Inteligência emocional e gestão de pessoas são fatores fundamentais para que um negócio se mantenha relevante diante de um cenário a cada dia, mais acirrado e competitivo.

Suportar a pressão que surge muitas vezes e saber administrar as próprias emoções e a da equipe de trabalho, deixou de ser uma possibilidade para se tornar um dos pilares de uma empresa bem-sucedida.

Nosso especialista em empreendedorismo, pessoas e negócios, o palestrante de sucesso Flavio Domingues, nos mostra no blog de hoje, as razões que colocam a inteligência emocional aplicada à gestão, como uma ferramenta capaz de promover os melhores resultados possíveis ao ambiente corporativo. Confira!

Relacionamento colaborativo e saudável no ambiente corporativo: inteligência emocional na gestão de pessoas 

Inteligência emocional na gestão de pessoas é um tema significativo não só nas famosas palestras de Flavio Domingues, ou seja, deste que vos fala, como também na mentoria Ative Sua Empresa.

Afinal, a  inteligência emocional na gestão de pessoas traz resultados excelentes para os negócios, e fortalece a reputação e a imagem da liderança da empresa perante o time.

As consequências positivas de uma gestão que trabalha a inteligência emocional são muitas, e é sobre isso que te conto a seguir. 

Por que a inteligência emocional na gestão de pessoas é importante?

Precisamos de inteligência emocional, sobretudo onde somos mais testados  emocionalmente. Se você é empreendedor ou atua em uma posição de liderança no âmbito corporativo, sabe do que eu estou falando.

A inteligência emocional, às vezes chamada de quociente emocional), refere-se à capacidade de uma pessoa em reconhecer, compreender, gerenciar e raciocinar com as emoções.

É uma habilidade crítica quando se trata de comunicação interpessoal – e um tema quente não apenas na psicologia, mas especialmente no mundo dos negócios.

O termo foi cunhado por psicólogos na década de 1990. Seu uso rapidamente se espalhou para outras áreas, incluindo negócios, educação e cultura popular em geral.

De acordo com os especialistas, há quatro níveis diferentes de inteligência emocional:

  1. Perceber as emoções
  2. Raciocinar com emoções
  3. Compreender as emoções
  4. Gerenciar as emoções

Nas últimas décadas, no entanto, os pesquisadores que exploram a psicologia da emoção tornaram-se cada vez mais interessados ​​na cognição e no afeto.

Esta área explora como os processos cognitivos e as emoções interagem e influenciam a maneira como as pessoas pensam. Considere como emoções e estados de espírito, como felicidade, raiva, medo e tristeza influenciam o modo como as pessoas se comportam e tomam decisões.

Fato é que ela ocupa um papel crucial na gestão de pessoas e no relacionamento colaborativo, sendo um dos pilares de um bom clima organizacional e do trabalho em equipe. Quando aprimorada, tanto pelos líderes quanto pelos colaboradores, os resultados na empresa são excelentes. 

Contudo, sabemos que se trata de um grande desafio a ser vencido por empreendedores e profissionais das mais diversas áreas. Como aprimorar e desenvolver essa aptidão, digamos assim? 

Te trago algumas dicas, confira!

Cultive o trabalho em equipe, a cooperação e a empatia

Os psicólogos sabem há anos que as pessoas que trabalham juntas são mais eficientes e produtivas do que o mesmo número de pessoas que trabalham separadamente. A empatia incentiva todos nós a trabalharmos cooperativamente. Se você é um funcionário colaborador, atente-se aos seguintes fatores:

  • Os funcionários podem evitar a formação de uma atmosfera tóxica, lançando mão da empatia  para ajudar no clima e nos relacionamentos;
  • Também é interessante não alimentar fofocas e críticas, com o intuito de  preservar o ambiente e não criar um clima de tensão e desconfiança. Isso certamente reduz a produtividade.

Se você é líder, pense no seguinte:

  • Incentive o sentimento de ajuda mútua;
  • Ofereça bônus ou outros incentivos para grupos em vez de conquistas individuais. Crie um programa de mentores mesclando novos funcionários com os mais experientes.

Em linhas gerais, é interessante tentar trabalhar as emoções na gestão de pessoas dentro do âmbito corporativo, da seguinte maneira:

  • Procure agir com generosidade. Quando um ponto de conflito for mais para a outra pessoa do que você, renuncie  “ter razão”. Você ganhará a gratidão e o apoio de seu colega de trabalho, por exemplo;
  • Comece qualquer comentário negativo com um positivo. É muito mais provável que você seja ouvido com empatia se começar críticas com apreço;
  • Fale quando sentir que algo é importante . Se um problema ou conflito o está incomodando em um nível instintivo, esperar muito tempo para falar pode causar uma inundação emocional. Ao agir, você muda como se sente a respeito do problema, o que tem um impacto poderoso em seu bem-estar;
  • Corra o risco de parecer imperfeito. Pessoas com alto desempenho pedem ajuda quando precisam e admitem quando cometem um erro. Em seguida, eles seguem, eficazes e eficientes.

Inteligência emocional significa mais motivação

Indivíduos emocionalmente inteligentes são otimistas e estão sempre trabalhando naturalmente em direção a um objetivo, seja pessoal, profissional ou ambos. Esses indivíduos têm uma mentalidade construtiva e perseveram, independentemente dos obstáculos que enfrentam.

Pessoas com alta inteligência emocional trabalham arduamente para saber que concluíram o trabalho com sucesso. Para incentivar esse aprimoramento emocional, não perca tempo, leve hoje mesmo as palestras de mentorias de Flavio Domingues para sua empresa ou evento e conte com uma das maiores revelações do empreendedorismo da atualidade. 

Escrito por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem palestrou?

Você precisa absorver muito conteúdo mas não encontra tempo para ler?

Milhares de pessoas tiveram uma experiência transformadora ampliando os limites do foco e da memória. Agora é a sua vez!

Clientes